Alongamentos podem ser benéficos para cavalos?

Texto por M.V. Esp. Flávia do Prado Augusto Amaro

Editado por M.V. Ma. Esp. Mhayara Reusing

Os alongamentos são exercícios importantes do repertório do fisioterapeuta, mas não precisam ser executados apenas como forma de tratamento. Segundo o dicionário, alongamento é “um exercício físico que aumenta o comprimento das estruturas de tecidos moles, ocasionando uma maior flexibilidade nos movimentos” e mesmo em animais saudáveis ele é benéfico, se executado corretamente.

A flexibilidade é uma propriedade intrínseca do tecido corporal e determina a amplitude de movimento das articulações, os alongamentos são capazes de aumenta-la.  Além disso, são capazes de melhorar o equilíbrio, a consciência corporal, a propriocepção e o apoio dos membros. Quando realizado em animais atletas, o programa de alongamentos é definido com base nas regiões do corpo que são mais exigidas naquela modalidade esportiva.

Contudo, é muito importante que o alongamento seja conduzido do modo correto. Para isso faz-se necessário respeitar alguns pontos:

  1. Aquecimento prévio- O aquecimento aumenta a amplitude de movimento alcançada pelo alongamento, aumentando a extensibilidade do colágeno dentro do tendão e da cápsula articular. Ele pode ser obtido por meio da aplicação de compressas quentes, massagem profunda, caminhada leve ou atividade para estimular a circulação e aumentar a temperatura muscular. A falta do aquecimento contribui para que haja maior rigidez no local e ocorra ruptura de fibras durante o procedimento.
  2. Tempo de alongamento- Estudos buscam identificar o tempo ideal, mas varia de 30 a 60 segundos por repetição.
  3. Respeitar respostas dolorosas- Esta não é uma atividade que deve causar dor. Se o animal demonstrar resposta dolorosa ao alongamento pode indicar alguma lesão no local ou que o executor da tarefa está ultrapassando o limiar fisiológico do movimento.
  4. O alongamento deve ser aumentado gradualmente- no início não deve ser exigido muito do animal, a constância irá acarretar em uma melhora da amplitude de movimento gradual.

Estudos em animais apoiam o impacto do alongamento ativo no sentido de aumentar o comprimento muscular por meio do relaxamento por meio da inervação recíproca. Embora os mecanismos neurológicos de relaxamento muscular no alongamento ativo e passivo sejam considerados diferentes com base em modelos animais, o estresse de tração é comum a ambos os tipos de alongamento e é provavelmente o principal fator para aumentar a flexibilidade muscular.

Fonte: arquivo pessoal. Dra Flávia do Prado

Estudos demonstram os efeitos benéficos do alongamento após aquecimento nas propriedades mecânicas do músculo, reduzindo o risco de lesões. Quando comparados animais que realizaram alongamentos durante quatro semanas com animais que não realizaram, o grupo que foi exercitado apresentou maior amplitude de movimento e tolerância ao alongamento.

O cavalo pode ser submetido a alongamentos dos membros e do eixo central do corpo que chamamos de CORE. O CORE é um componente chave no controle da postura corporal e fornece uma plataforma estável para os movimentos dos membros e geração de forças locomotoras. Recomenda-se que cavalos atletas realizem sempre o alongamento e fortalecimento dessa região para manter as costas saudáveis, e também terapeuticamente quando a dor nas costas é identificada. Alguns alongamentos são executados de modo passivo, com o executor produzindo o movimento. Outros são realizados de modo ativo, com o animal participando do movimento.

Figura 1- Alongamentos de membro pélvico executados de modo passivo (Fonte: Frick,2010)

Figura 2- Alongamentos do CORE executados de modo ativo (Fonte: Clayton, 2016)

Os cavalos são extremamente inteligentes e de modo geral aprendem os alongamentos com facilidade. Alimentos apetitosos podem ser ótimos para auxiliar nesse processo. E além de ser um exercício terapêutico benéfico, pode se tornar um momento de interação e desenvolvimento de vínculo entre homem-cavalo muito interessante. Por fim, antes de iniciar alongamentos com seu cavalo, é ideal perguntar ao seu médico veterinário de confiança se seu animal está apto para a atividade e buscar orientação para executar os movimentos adequadamente.

Referências

Bromiley, M. Equine Injury, Therapy and Rehabilitation. Oxford: Blackwell, 3rd edition, 2007.

Frick, A. (2010). Stretching Exercises for Horses: Are They Effective? Journal of Equine Veterinary Science, 30(1), 50–59

Clayton, H. M. (2016). Core Training and Rehabilitation in Horses. Veterinary Clinics of North America: Equine Practice, 32(1), 49–71.